Patricia Guerreiro

Sem título, da série Devoção, 2019
Concreto e ferro
90 x 48 x 44 cm

Nasceu em 1971, Rio de Janeiro, onde vive e trabalha.

A curiosidade por pessoas, suas dores, conflitos , crenças e histórias sempre foram combustível para a minha arte. O concreto desconstruindo, o ferro e o arame farpado traduzem segregação, separação, imposição dos limites e a ferida que dói. A transmutação para a leveza vem do ouro e das pedras preciosas. Uma linha tênue entre a dor e o acolhedor.

Sem título, 2021
Arame farpado com ouro 24 ct.
38 x 25 x 18 cm
Sem título, da série Armadilhas do ego, 2020
Cola, papel de seda, arame farpado com banho negro e base em ferro
34 x 42 x 40 cm

EXPOS COLETIVAS

2019

Galerie Joseph, França (Paris)  

2020

Art Lab Gallery, São Paulo    

2021

Superstudio, Milão (Itália)