SP-Arte 2020

MOSTRA III / LUCIANA CARAVELLO SP
01.09.2020
Presente Estilhaçado
Adrianna Eu / Alexandre Mazza / Paulo Bruscky / Ricardo Villa

Se voltarmos um pouco no tempo, meados da década de 1970, deparamo-nos com um cenário político brasileiro opressor.
É exatamente neste momento que o artista Paulo Bruscky utiliza da arte postal como estratégia de liberdade diante do autoritarismo eminente na época.
A nossa realidade política segue tirana e, não obstante, somos assolados por uma crise sanitária.
Voltamos a retratar nas práticas artísticas atuais questões não antes vencidas.
É desta forma que Ricardo Villa procura demonstrar como ideologias dominantes determinam nossa compreensão histórica do conhecimento e do mundo como natureza.
Alexandre Mazza confronta seus espectadores com jogos visuais: com o que se vê e o que se acredita ver? Com o que está ali e o que se imagina estar. Adrianna Eu nos faz olhar para dentro e traz à tona as relações das pessoas com a própria identidade. Retrocedemos ao passado, vivendo em um presente caótico.

Sem título, 1970
Obras em papel/Desenho: 30 × 40 cm
“O combustível da vida”, 1970
Obras em papel/Desenho
“Equilíbrio”, 1970
Obras em papel/Desenho: 33 × 23 cm
“Poazia”, 1978
Obras em papel/Desenho
“Censurado”, 1970
Obras em papel/Desenho: 33 × 23 cm
“Modelagem” , 2020
Desenho/Colagem com cédula de 100 cruzados 
Papel moeda s/papel 
105 x 105cm 
“Sistema Mundo #1”, 2020
Escultura: 35 × 21 × 22 cm
“Conjunto Questão #3”, 2020
Dobradura em livro Tapirarapé, Tribo tupí no Brasil Central. BALDUS,
Herbert e “Catálogo”. Sociedade Brasileira. 

“Águas VI”, 2020
Video/Filme: 133 × 86 cm
“Morion”, 2020
Escultura: 70 × 70 × 5 cm
“Jasper”, 2020
Escultura: 70 × 70 cm
“Pequenas imensas bandeiras”, 2020
Escultura: 10 × 8 × 2 cm

Adrianna eu fala sobre a obra “A Gangorra da Vida”
“Pequena cortina para um amanhã”, 2020
Escultura: 55 × 40 × 5 cm
“A Gangorra da Vida”, 2020
Escultura: 110 × 49 × 33 cm