Ricardo Villa

 Modelagem (2020)
Desenho/Colagem com cédula de 100 cruzados 
Papel moeda s/papel 
105 x 105 cm
ATRAVÉS DE ESCULTURAS, DESENHOS, INSTALAÇÕES, VÍDEOS E OBJETOS, RICARDO VILLA PROCURA DEMONSTRAR COMO IDEOLOGIAS DOMINANTES DETERMINAM NOSSA COMPREENSÃO HISTÓRICA DO CONHECIMENTO E DO MUNDO ENQUANTO NATUREZA. ESSAS IRREGULARIDADES SÃO O OBJETO-QUESTÃO PERSEGUIDO PELO ARTISTA, IRREGULARIDADES ÉTICAS E ESTÉTICAS, TRABALHANDO NA INTERSECÇÃO ENTRE A CULTURA E A NATUREZA, EXPONDO OS PARADOXOS DE NOSSO RELACIONAMENTO COM O MUNDO NATURAL E INDUSTRIAL, LEVANTANDO QUESTÕES SOBRE NOSSO LUGAR NA ORDEM NATURAL E TRAÇANDO UMA LINHA ENTRE OS PROCESSOS DA NATUREZA E OS DA CULTURA.

Ricardo Villa nasceu em 1982, em São Paulo, onde vive e trabalha. Estudou Arte e Cultura fotográfica no Centro Universitário Senac (bolsista Prouni). Entre suas principais exposições estão “Até começar a parecer ordem” (individual), Luciana Caravello Arte Contemporânea (2017); “São Paulo não é uma cidade, invenções do centro”, Sesc 24 de maio (2017); “ Modos de Ver o Brasil: Itaú Cultural 30 anos” (2017), OCA/SP; “Como Atravessar Paredes”, Prêmio CCBB Contemporâneo (individual) Centro Cultural Banco do Brasil/RJ (2016); ArtePará (2016); Encontro de Mundos, Museu de Arte do Rio/MAR (2015); “Falso Movimento” Luciana Caravello Arte Contemporânea (2014); “Vanitas” Central Galeria de Arte Si(2011); “Abre-Alas15”, A Gentil Carioca (2018) e residência Re:uso JACA Centro de Arte e Tecnologia BH/SA.

“Sistema-mundo #” (2020)
Origami Kusudama em papel moeda
“Sistema-mundo #” (2020)
Origami Kusudama em papel moeda
“Sistema – mundo #13” (2020)
40 x 30 cm
Sistema Mundo #3 (2020)
Escultura Kusudama em papel moeda
15 x 15 x 15 cm
Sistema-mundo #1
“Conjunto questão” (2020)
Escultura

“Trabalho na interseção entre a cultura e a natureza, expondo os paradoxos de nosso relacionamento com o mundo natural e industrial.” 


EXPOS INDIVIDUAIS

2017
Até começar a parecer ordem, Luciana Caravello Arte Contemporânea/RJ, texto Jacopo Crivelli Visconti

2016
Como Atravessar Paredes, Centro Cultural Banco do Brasil/CCBB/RJ, texto Daniela Labra

2009
Espaço Revelado – curadoria Daniela Labra – Kreatori Coletivo de Arte, Rio de Janeiro, RJ

2007
Superfície Limite – curadoria Cris Arenas – Galeria 1500m, Instituo Porto Pensarte, São Paulo, SP

EXPOS COLETIVAS

2019 
Programa de Exposições Museu de Arte de Ribeirão Preto/MARP 

Nilton Campos e Sylvia Furegatti. 

2018 
Abre – Alas 14. A Gentil Carioca. 

Curadoria Clarissa Diniz, Cabelo e Ulisses Carrilho 

Acervo MARP – Aquisições Recentes 

Curadoria Nilton Santos 

2017
São Paulo não é uma cidade – invenções do centro, Sesc 24 de maio, curadoria de Paulo Herkenhoff e Leno Veras

Modos de ver o Brasil: Itaú Cultural 30 anos, curadoria de Paulo Herkenhoff, Thais Rivitti e Leno Veras, Oca – Parque do Ibirapuera, São Paulo

2016
Arte Pará, curadoria Paulo Herkenhoff, Marcelo Campos

2015
Falso Molvimento, Luciana Caravello Arte Contemporânea/RJ, curadoria Jacopo Crivelli Visconti

2014
Encontro de Mundos – curadoria Paulo Herkenhoff – MAR / Museu de Arte do Rio, Rio de Janeiro, RJ

20º Salão de Arte da Praia Grande, seleção Cauê Alves, Paula Braga

2013
Acervo Geral – Luciana Caravello Arte Contemporânea, Rio de Janeiro, RJ

2012
Aí vai muito da pessoa – curdoria Bernardo Mosquera – Luciana Caravello Arte Contemporânea, Rio de Janeiro, RJ

17º Unamá Pequenos Formatos – Seleção Paulo Miyada – Universidade da Amazônia, Belém, PA

2011
Vanitas – Central Galeria de arte Contemporânea, São Paulo, SP

Urbano Avesso – FotoRio 2011 – curadoria Daniela Labra – Luciana Caravello Arte Contemporânea, Rio de Janeiro, RJ

2010
Converging Trajectories: Crossing Borders, Building Bridges – Curadoria Ted G. Decker – Modified Arts, Phoenix, Arizona, EUA

Abre-Alas 6 – Curadoria Beatriz Lemos, Felipe Scovino e Guga Ferraz – Galeria A Gentil Carioca, Rio de Janeiro, RJ

38º Salão de Arte Contemporânea Luiz Sacilotto – Seleção Albano Afonso e Sandra Cinto – Santo André, SP

2009
60º Salão de Abril – Seleção Suely Rolnik, Olívio Tavares e Claudia Sampaio – Secultfor, Fortaleza, CE

2008
Programa de Exposições 2008 do Museu de Arte de Ribeirão Preto/MARP – Seleção Thais Rivitti, Sylvia Furegatti e Nilton Campos – Ribeirão Preto, SP

2008
14º Salão UNAMA de Pequenos Formatos – Seleção Luiz Braga e Emanuel Franco – Universidade da Amazônia, Belém, PR

2007
14º Salão de Arte de Campinas/MACC – Campinas, SP

1º Bienal de Arte Contemporânea do Triângulo Mineiro – Seleção Cauê Alves, Ana Paula Camargo e Heliana Nardin – Uberlândia, MG

2006
4º Mostra Cariri das Artes – Juazeiro do Norte, CE

2005
Impulso Coletivo – Instituto Gtech, São Paulo, SP

Vorazes, Grotescos e Malvados – Curadoria Christine Mello, Paço das Artes, São Paulo, SP (Subloado dentro do espaço dos artistas Dora Longo Bahia e Wagner Viana)

2004
Digitofagia, Museu da Imagem e do Som.

2003
Palavra + – Curadoria Luiz Cancel – SESC Copacabana, Rio de Janeiro, RJ

RESIDÊNCIAS

JACA Centro de Arte e Tecnologia Belo Horizonte/Salvador. Brasil 
Colônia de Férias 
Atelier 397 

PRÊMIOS

1º Pêmio CCBB Contemporâneo (exposição individual) Cauê Alves, Mauro Saraiva
 
Menção honrosa 20º Salão de Artes Visais da Praia Grande 


Prêmio ArtRef (junho) 2013 


Destaque no sitio da Fundação Iberê Camargo como resultado do programa de residência “Bolsa Iberê Camargo” 

COLEÇÕES

PARTICULARES
José Paulo da Rocha Brito

INSTITUCIONAIS
Itaú Cultural
MAR, Museu de Arte do Rio
Nike S/A

TEXTOS CRÍTICOS

Distopia – A pedra preciosa de Ricardo Villa – Marcia Tiburi